January 7, 2016

Entidades Parceiras

O Projeto Fénix conta com o acompanhamento científico das seguintes instituições de ensino superior.

transferirUCP_cores directas

 

 

 

 

Professor Doutor Joaquim Azevedo, FEP – UCP

Estão todos na escola, felizmente. Mas a escola é profundamente injusta para muitos. Como é que vamos prosseguir este esforço de construir uma escola democrática e justa para todos os portugueses? Como é que a educação escolar tem de se reinventar, neste novo século, para promover todos e, ao mesmo tempo, cada um, sem esquecer ou “desgraçar” um só.A escola para todos, como promessa da democracia e da justiça social, é uma conquista difícil, que tem sido realizada, em Portugal, com resultados muito positivos, ao longo dos últimos quarenta anos. Este longo período, contudo, é muito pequeno para conseguirmos ultrapassar quer um século inteiro de abandono e desnorte a que a educação escolar esteve submetida, quer as profundas desigualdades sociais que persistem, no país, no início do século XXI, quer ainda as dificuldades que evidenciamos em reestruturar a educação escolar e reorganizar as escolas para uma promoverem uma educação adequada e justa para com todos e para com cada criança e jovem.

O Projeto FÉNIX tem sido essa janela ampla, da qual podemos ver esta escola democrática e justa. Modelo pedagógico desenvolvido inicialmente em Beiriz-Póvoa de Varzim, esta nova dinâmica estendeu-se, na última década a todo o país, constituindo hoje um rico capital educacional não só agregador de muita dedicação e profissionalismo docente, como promotor de uma nova esperança para muitas crianças e jovens, que conseguem realmente aprender e aprender com garra, esforço, motivação e qualidade.

Que esta página web seja uma semente de ainda maior esperança no coração de professores, alunos e escolas!

Joaquim Azevedo

 


Foto_JLG_2015logos_paula_frassinetti_web_2

Professor José Luís Gonçalves, Diretor da ESEPF

Não obstante os grandes avanços registados na área da educação em Portugal, o ideal democrático da “Escola para Todos” não se traduziu ainda numa escola onde o sucesso das aprendizagens esteja garantido por cada aluno. A dificuldade atual do sistema educativo reside em encontrar o equilíbrio entre proporcionar oportunidades de aprendizagem a todos – a equidade – e a necessidade de integrar as diferenças de que cada um é portador – a inclusão. Por outras palavras: na escola, todas as crianças deviam aprender juntas mas serem acolhidas nas suas diferenças através de respostas pedagógicas para as dificuldades/potencialidades de cada uma!

As escolas são inclusivas quando integram a diversidade dos seus alunos, assegurando uma educação de qualidade através de currículo apropriado, acomodando a heterogeneidade de estilos e ritmos de aprendizagem, promovendo estratégias de ensino pertinentes, procedendo às necessárias modificações organizacionais e à mobilização dos melhores recursos humanos. No contexto atual das escolas, estas intervenções educativas assumem uma dimensão social e política relevante e as opções que fundamentam essas mesmas intervenções adquirem uma importância acrescida.

O Projeto Mais-Sucesso-Fénix emerge como proposta contextualizada ao problema do insucesso escolar dos alunos, proposta entretanto alargada ao país inteiro. Deixando de lado a velha retórica das clivagens ideológicas, interpelando crenças educacionais cristalizadas e enfrentando imobilismos instalados no interior da organização-escola, põe em marcha uma intervenção educativa diferenciadora no contexto de sala de aula que recentra o foco da escola e a competência docente no essencial: na promoção das aprendizagens do aluno!

Hoje, o Projeto Mais-Sucesso-Fénix é mais do que a sua intuição inicial e, com o trabalho sério, dedicado, criativo e crítico de todos, será ainda melhor num futuro próximo.

José Luís Gonçalves