Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Como diz o poeta “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.” Quando se quer e sabe, fazemos acontecer. “A vida é água endurecendo a pedra. Afinal requer-se fartura de coração” (Mia Couto). Quem olha a vida e os seus desafios, os novos públicos, tem de o fazer com razão mas também com coração, para romper com lógicas instaladas, com rotinas e introduzir uma nova gramática. Porque todos devemos estar implicados na construção de uma melhor Escola centrada na melhoria dos processos, promovendo equidade e individualidade. Felizmente é bom saber que existem escolas que respiram inquietação, porque procuram dar resposta aos novos desafios. E isso implica que todos percebam essa lógica de construção, mas também de desconstrução de rotinas e do sempre se fez assim. Obriga a um trabalho de muita informação, comunicação e formação. De proximidade. Mas também de ação, de dar a conhecer uma outra forma de estar e ser, comprometida com o sucesso de todos. Esta forma de moldar a organização em função das aprendizagens, da individualidade de cada aluno, este trabalho organizacional, de lideranças preocupadas com os alunos, cria uma boa desordem porque combate a ordem instalada, enraízada. Como afirma o Professor Joaquim de Azevedo: “A desordem é a vida, é assim, é mesmo uma grande desordem. Porque educar é des-envolver, desfazer lentamente o novelo que cada um de nós é, des-envolver para poder vir a ser, a conhecer, a fazer, a viver com os outros. A ordem são as margens. A desordem é rio, que por sinal é a vida que corre nas escolas, sempre diversa, sempre nova em cada ser que se des-enreda, que faz o seu próprio desenho, que se ergue perante o bem e o belo, que aprende a compreender as coisas, o mundo a vida, que agarra a herança cultural que lhe transmitem e re-cria a vida e cria novos possíveis.” Uma nova ordem de possibilidades, é o cenário de trabalho, no palco da vida com personagens reais. É assim a escola que estamos a construir. Com desafio e rumo, porque inspirada em lideranças com visão e comprometidas com a vida, logo lideranças com sentido e com Norte.


Júlio Castro