E se a escola fosse como construir um pára-quedas

Reinventar a escola, é preciso. A lógica “industrial” que existe está desajustada. As rotinas instaladas, minam tudo e a todos afetam. A ideia do pára-quedas é a que me ocorre, como metáfora para reinventar a escola. As escolas, como construtoras do pára-quedas. Todo o potencial de conhecimento, de tecnologia está nela. Mas é preciso que[…]

Em cada aluno, mora uma pessoa única!

A pessoa humana, cada pessoa, está no centro de toda a actividade educativa: em cada aluno, em cada profissional, em cada idoso com que deparamos mora sempre uma pessoa única, com uma dignidade inalienável e inviolável, que está acima e antes de qualquer enquadramento institucional ou função social. A educação é essa “arte” de promover[…]

A necessidade de definir uma orientação crítica e reflexiva

“As sociedades transformam-se: vão e vêm. As tecnologias mudam o trabalho, a comunicação, a vida quotidiana e até mesmo o pensamento. As desigualdades deslocam-se, agravam-se, são recriadas em novos terrenos. Os actores encontram-se em múltiplos campos sociais; a modernidade não permite que ninguém se proteja das contradições do mundo. Que lições devemos extrair disso para[…]